Os 10 melhores tênis de corrida de 2021

O mais confortável, o mais versátil, o que apresenta melhor custo-benefício… Tem tênis para corredora de todos os gostos! 
Nike (divulgação)

Vai aposentar o seu companheiro de guerra e está pensando em trocar o modelo? Aí vai uma boa notícia: as marcas andaram inovando nos últimos meses, e criaram tênis de corrida para todos os gostos. Seja você um iniciante, fã dos treinos de velocidade, seja amante dos grandes volumes, confira uma seleção com os 10 melhores tênis de corrida de 2021. 

10 melhores tênis de corrida de 2021

1) Para quem está com sobrepeso: 1080v11, New Balance, R$ 999,90

A versão anterior, 1080v10, foi (e continua sendo) um sucesso, queridinha de quem ama um bom amortecimento e conforto. Há quem diga que ela é a aposta certa para quem sente dores ou está se recuperando de alguma lesão. O mesmo vale para iniciantes, pessoas que estão voltando a correr ou com sobrepeso. 

A entressola e o solado são os mesmos do antigo: drop de 8mm, espuma com tecnologia Fresh Foam X (que garante uma pisada ultramacia e confortável) e boa largura, o que traz estabilidade — tênis altos como o 1080v10, se muito estreitos, podem deixar corredores menos experientes com medo de torcer o pé. 

No que diz respeito ao cabedal, o novo modelo da New Balance apresenta algumas novidades. Feito em tecido HypoKnit, ele é elástico, respirável e mais leve, assim se adapta bem tanto em pés largos quanto nos mais finos. Conta com seis furos de amarração (e um furo extra), lingueta sem enchimento e colarinho sem espuma, mas que segura bem a região do tendão de Aquiles.

2) Mais versátil: Ultraboost 21, Adidas, R$

Vamos combinar: ele é lindo, não é? Disponível em muitas cores, vemos o Ultraboost por aí até nos pés de quem não corre. E em muitas ocasiões: durante caminhadas, trotes, para passar muitas horas em pé…

A linha é conhecida pela tecnologia Boost na entressola: uma espuma com amortecimento próprio patenteado pela Adidas. São as “bolinhas” localizadas na sola do tênis (você já deve ter reparado) que o deixam extremamente macio. São 10 mm de drop, cabedal que lembra uma meia (ou seja, abraça o pé de forma confortável, mas firme) e colarinho e lingueta bem finos. 

3) Melhor amortecimento: Float Fly, Fila, R$ 499,90

Este é outro modelo que entra na lista dos versáteis: por ser muito confortável, vai bem em treinos regenerativos ou para quem está começando. E, e por ter uma pegada diferentona (bem fashion mesmo!), dá para combiná-lo com looks casuais. 

Veja também: KR5: testamos o tênis de corrida mais leve criado pela Fila

O cabedal é bem arejado, feito em mesh. A lingueta não tem enchimento, mas possui passadores de cadarço para o tênis não ficar “dançando” durante a corrida. Já o colarinho é reforçado e dá estabilidade para o calcanhar (portanto, não precisa se assustar com a altura do tênis, ele é bem estável). 

Drop de 10 mm e entressola com tecnologia Float extremamente macia. 

4) Melhor custo-benefício: Veloz, Olympikus, R$249,90

Bom, bonito e barato: dá para encontrar o Veloz, espécie de “irmão mais novo” do Corre 1, na faixa de R$249,90 — ou até menos! A marca trouxe algumas melhorias para essa nova versão, como a entressola em EVA Pro, um pouco mais firme. 

Das características herdadas do Corre 1, podemos citar o cabedal em Hypersock — um tecido knit que facilita a respirabilidade —, seis furos para amarração (mais o furo extra), lingueta com pouco enchimento e colarinho bem macio. Perfeito para quem procura um bom tênis de corrida, mas não quer gastar muito. 

5) Mais estruturado: Gel Cumulus 23, Asics, R$ 699,99

O número 23 do nome significa que ele está em sua 23ª versão — ou seja, é um geração Z com um pézinho nos millennials. Muitos corredores dizem que o Gel Cumulus não é um daqueles casos de amor à primeira corrida: você precisa de duas a três sessões para se adaptar. Mas ele é pau para toda obra: vale usar nos tiros, nos longões, em regenerativos… 

São 10 mm de drop, cabedal em mesh tecnológico (sem costuras, apenas um reforço na biqueira), seis furos para amarração e lingueta com enchimento que não sai do lugar com o movimento. 

É realmente um tênis de corrida mais firme. Apesar da maciez média da entressola (espuma Flytefoam), o solado é bem duro, o que aumenta a vida útil do modelo — uma das reclamações dos atletas sobre a versão 22, aliás, era justamente o desgaste rápido.

Veja também: 9 documentários e séries de esporte que você deveria ver na Netflix

6) Com placa: Racer Silva, Fila, R$ 499,90

Você provavelmente já ouviu falar da tal placa de fibra de carbono, uma estrutura localizada na entressola de alguns tênis que pode aumentar o desempenho em até 6% segundo estudos. Os modelos mais conhecidos com a característica são gringos, o que os torna bastante caros aqui no Brasil. 

O Racer Silva, então, tem a vantagem de ser desenvolvido e produzido no país e, portanto, é mais acessível! Sua placa não é de fibra de carbono, e sim, de nylon, mas garante resultados satisfatórios. 

Veja também: Treino HIIT com corda: 20 minutos para queimar calorias e melhorar o condicionamento físico

O cabedal em mesh tecnológico traz duas camadas, cinco furos para amarração (mais um extra) e lingueta extremamente fina. A estabilidade para o calcanhar é garantida pelo contraforte reforçado e pelo colarinho com bastante enchimento. 

A espuma macia da sola o torna confortável (10 mm de drop) e a sua placa tem um formato de colher para dar mais estabilidade — não gera aquele efeito de “mola” tão acentuado em outros modelos com a tecnologia. Por isso, especialistas garantem que o tênis da Fila é ideal também para iniciantes, já que não pede tanto domínio dos movimentos.

7) Para o intervalado: Kenya Racer, Fila

A maioria dos corredores prefere modelos mais versáteis, que funcionam em todos os tipos de treino. Mas aqueles mais experientes, que desejam dar um passo adiante, já podem pensar em investir em tênis específicos para cada corrida da semana. 

O Kenya Racer combina muito bem com o intervalado. Ele é o mais leve da marca, e o seu drop de 6mm o torna ideal para tiros e distâncias mais curtas (5 ou 10K). 

Já o cabedal é bem diferenciado e fabricado todo em tecido, com pequenos furos que dão respirabilidade. A tecnologia FUSE “segura” o pé — mesmo assim, há a possibilidade de usar o último furo de amarração do cadarço para o tênis ficar ainda mais fixo. A lingueta bem fina permite ajuste para não sair do lugar.

Veja também: Melhore seu desempenho esportivo com este exercício para treinar a mente

8) Para treinos leves: Wave Sky 4, Mizuno, R$ 899,99

Se você busca a segurança de um modelo bem estruturado para as suas rodagens, o Wave Sky 4 é ideal — porém, vale apontar que o cabedal em mesh com sobreposição de camadas pode esquentar os pés mais calorentos. Seus seis furos para amarração deixam a língua com enchimento fixa durante os treinos. O colarinho é bem grosso e com bastante espuma, garantindo firmeza para o calcanhar e o tornozelo. 

Drop de 10mm e entressola que mistura duas tecnologias: a Enerzy, lançada pela Mizuno com a promessa de entregar a maior maciez e o melhor retorno da história da marca; e a U4ic X, que permite o movimento natural. Bônus: a borracha de carbono do solado vai fazer o seu par durar muitos quilômetros. 

 

9) Para o longão: Air Zoom Pegasus 37, Nike, R$ 699,99 a R$ 749,99

Inspirado no Zoom Fly e no Vaporfly, dois tênis da Nike com placa de fibra de carbono. Com uma diferença: ele não conta com a placa! No lugar, há a espuma com tecnologia React, que dá maciez e responsividade, além de cápsulas de Air Zoom, que absorvem o impacto e o devolvem em forma de impulso. Há quem ame o Pegasus para maratonas.

O cabedal fechado e com duas camadas de tecido pode esquentar um pouco, mas segura o pé com firmeza e dá segurança. O solado conta com uma mistura de borracha, mais macia na parte interna e bem dura na externa.

Veja também: Como incentivar seu parceiro a se exercitar

 

10) Mais performance em provas: ZoomX Vaporfly Next% 2, Nike, R$ 1.699,99

Se você está disposto a investir dinheiro no tênis de corrida para garantir melhor desempenho nas provas, com o ZoomX Vaporfly Next% 2 não tem erro. Ele é o queridinho da marca e de muitos atletas, mas seu preço passa dos quatro dígitos no Brasil. 

O mérito fica com a tecnologia de amortecimento ZoomX, própria da Nike, e uma placa de fibra de carbono em toda a extensão da entressola, que oferece retorno máximo de energia para o corredor. O cabedal é feito com uma malha extremamente fina que se ajusta perfeitamente ao pé de quem o calça. A lingueta é acolchoada e a biqueira reforçada para que ele dure mais e seja mais confortável. 

Não à toa, o modelo é considerado a “Ferrari” dos tênis de corrida. 

Reportagem Amanda Panteri

veja também