fbpx

Meditação da bondade amorosa: prática melhora a autoestima e a compaixão

Em poucos minutos, a meditação da bondade amorosa promove a empatia, fazendo com que você olhe com menos dureza para si mesma e para os outros

Existem inúmeras vantagens em incluir a meditação na rotina diária: diminuição de stress e ansiedade, melhora na concentração, controle de impulsos emocionais… Se, além desses benefícios, você também quer desenvolver mais compaixão com você mesma e, de quebra, com o outro, temos a prática ideal. A meditação da bondade amorosa promove a empatia e torna mais fácil a convivência até com aquele colega de trabalho irritante, sabia?

Veja também: Alto Giro e Helena Schargel lançam coleção fitness para mulheres com mais de 60 anos

O exercício, que integra o programa de alguns cursos de mindfulness, estimula o praticante a desenvolver seu desejo de bem-estar interno, mas também a pensar naqueles ao seu redor. “Ao fazer a meditação da bondade amorosa, você tira alguns minutos para cultivar sentimentos felizes para todos. Assim, pratica o amor próprio e também o amor direcionado aos outros”, explica Viviam Vargas, do Centro Paulista de Mindfulness. Além de melhorar sua relação com as pessoas ao seu redor (sim, fica mais fácil aturar o chefe que pega no seu pé ou aquele familiar desagradável), a prática diminui o isolamento social, aumentando a sensação de propósito de vida e felicidade. 

Como começar a praticar

Uma outra grande vantagem da meditação da bondade amorosa é que ela é fácil de ser praticada – basta você tirar alguns minutos do seu dia para mentalizar bons votos para si e para os outros. “Fique alguns minutos em silêncio, com pensamentos como ‘que eu seja feliz’, ‘que eu fique em paz’, ‘que eu não sofra’”, ensina Viviam. Se a intenção é cultivar a compaixão com o outro, basta mudar o sujeito para quem essa frase é direcionada – “que essa pessoa seja feliz”… 

Veja também: Como começar a praticar mindfulness hoje mesmo

Você também pode fazer uma prática mais ativa, procurando direcionar essas “good vibes” para pessoas queridas ou difíceis de lidar durante seu dia – difícil, a gente sabe, mas não custa tentar. “Ao cruzar com uma delas, na mesma hora procure mentalizar frases como ‘essa pessoa, assim como eu, quer ser feliz e não sofrer’”. aconselha Viviam. Cultivar esse tipo de pensamento nos livra de julgamentos sobre os outros e, consequentemente, sobre nós mesmos. Bora tentar!

veja também

Fechar Menu