fbpx

O que é mindful eating e como ele pode ajudar no processo de emagrecimento

Conheça a prática que une a meditação à alimentação e propõe uma forma mais saudável e livre de culpa de encarar a comida ao trazer a atenção plena para o momento da refeição
Depositphotos

Você com certeza já ouviu falar do mindfulness, estilo de meditação que procura trazer a atenção plena para o momento presente. A prática, que ficou mundialmente famosa por seus inúmeros benefícios (controle da ansiedade, combate ao stress, aumento do nível de compaixão, dentre outros), agora ganha um novo aliado, que busca aplicar esses mesmos princípios à alimentação: o mindful eating

Sabe aqueles agachamentos que você faz para deixar o bumbum durinho? Então, você também pode fazer um treino para fortalecer seu cérebro – mais especificamente, sua habilidade de focar. “O mindfulness nada mais é do que um conjunto de práticas que desenvolvem a capacidade de atenção”, explica Marcelo Demarzo, médico especialista em mindfulness. E, acredite, estar atento ao momento presente pode ser uma grande ajuda para diversas questões, como o combate à depressão, à dor crônica, a vícios e à obesidade. 

O mindfulness na alimentação

Quando associadas à alimentação, as práticas de mindfulness recebem o nome de mindful eating. “A técnica procura aplicar a atenção plena nos momentos das refeições, com o objetivo de minimizar reações automáticas, como comer por ansiedade ou stress, não escolher bem os alimentos a serem colocados no prato, comer rápido demais…”, diz Marcelo. E o resultado pode, sim, ser sentido na balança. 

A ideia é que, ao sentar à mesa para fazer a refeição, você esteja completamente consciente do seu nível de fome, dos desejos do seu corpo e daquilo que foi colocado no prato. “Adeptos do mindful eating procuram fazer as refeições com concentração, curiosidade, gentileza e sem julgamentos”, explica Vera Salvo, do Centro Paulista de Mindfulness (CPM)

Veja também: Se você trabalha 8h sentada, deveria fazer estes exercícios

Comer com consciência

Parece difícil, a gente sabe. Mas algumas pequenas mudanças de atitude já são o bastante para tornar o ato de comer mais consciente. “Antes de fazer as refeições, procure se perguntar sobre seu nível de fome, sobre o que está gerando esse desejo e os nutrientes de que seu corpo está pedindo”, aconselha a nutricionista comportamental Manoela Figueiredo, coautora do livro “Mindful Eating: Comer com atenção plena” (R$ 28, Ed. Abril). Outra dica é procurar comer devagar, realmente sentindo o gosto de cada alimento. O resultado? Uma atitude consciente diante da comida!

Estudiosos da universidade de Warwick, no Reino Unido, recrutaram um grupo de pessoas obesas para participar de um programa emagrecimento que incluía sessões de mindful eating para incentivar os participantes a comer mais devagar, sem distrações, e de uma forma que não gerasse sentimentos de culpa em relação à comida. Durante o estudo, aqueles que aplicaram pelo menos algumas das técnicas perderam quase 3kg a mais do que os participantes que não receberam o treinamento de mindful eating.  O estudo mostra que, a partir do momento que começa a comer com mais consciência, você se atenta, também, ao seu nível de saciedade. Em muitos casos, essa mudança de comportamento faz com que as porções colocadas no prato diminuam, o que reflete no peso. 

Veja também: Como o Mindful eating pode te ajudar a combater a compulsão alimentar

Mindful eating é uma dieta?

“O mindful eating não deve ser encarado como uma dieta, já que a perda de peso não é seu objetivo principal”, explica a nutricionista comportamental Manoela Figueiredo, coautora do livro “Mindful Eating: Comer com atenção plena” (R$ 28, Ed. Abril). Mas o emagrecimento entra para a lista de seus inúmeros benefícios, sim, já que pode ser uma consequência da técnica. “Isso acaba acontecendo porque a partir do momento em que você para de comer em excesso e passa a escolher melhor a comida, respeitando sua saciedade, você diminui o consumo calórico e melhora a qualidade nutricional das suas refeições”, esclarece a nutricionista.

Veja também: Guia de Alimentação saudável: dicas práticas para você comer melhor

veja também

Fechar Menu